O que causa o medo de falar em público

o gritoCada pessoa é única e reage às situações do seu próprio jeito, com o arquivo emocional que dispõe no momento.

Desde a concepção, seja por ação do sopro da vida, seja por herança genética, seja por influência sócio cultural, são criados no cérebro pontos fortes que funcionam como gatilhos mentais, determinando as maneiras como cada um vai reagir às situações que se apresentam no decorrer da vida.

Como a pessoa reflete sobre suas reações e ações e como ela se autoavalia é o que vai determinar a sua evolução frente às novas situações.

Ela pode deixar a emoção tomar conta ou pode desenvolver mecanismos para controlá-la.

A reação mais construtiva surge quando a pessoa consegue ter um distanciamento da situação no momento em que está acontecendo e em instantes pode optar com consciência pela escolha mais adequada para o momento. Isso é o que chamamos de inteligência emocional.

Por que tudo isso? Porque quanto mais inteligência emocional, menos estresse e mais sob controle fica o medo de falar em público.

São inúmeras as causas que levam ao medo de falar em publico, entre elas:

  •  Ter passado por um ou mais constrangimentos sociais.

Por exemplo, se em alguma ocasião você passou por uma humilhação frente a uma plateia e sentiu-se envergonhado, constrangido e incapaz, isso pode ter sido registrado pelo cérebro como uma situação de perigo.

E pode vir a se repetir toda vez que você for solicitado para uma exposição pública, porque pode simbolizar um novo evento vergonhoso.

repulsa

  •  Ter sofrido bulling quando criança ou ainda sofrer .

Marita tinha 9 anos, estudava numa escolar pública em uma sala mista. Era sorridente se relacionava muito bem com os amigos da mesma idade, mas quando tinha que falar com professores ou diretores tremia dos pés à cabeça. Certa vez sua professor de português a chamou à lousa. Marita a princípio achou que não fosse com ela, o que fez a professor falar mais energicamente:

–          É com você mesma Marita. Venha aqui.

–          Desculpe professora, pensei ter ouvido a nome da Maria.

Sob o olhar fulminante da professora e o riso contido dos colegas caminhou até a frente tentando disfarçar o medo.

–          Escreva a palavra muito.

–          Marita pegou o giz e escreveu – “MUINTO”

–          Gargalhada geral.

–          Você escreveu “MUINTO”, falou firme a professora.

–          Escrevi. Respondeu com a voz trêmula.

–          Olha direito, leia!

–          “MUINTO”.

–          Você acha que está certo?

Marita olhando novamente para o quadro, estava tão nervosa que já não enxergava mais nada, perguntou:

–          Não está? “MUINTO”.

Nova gargalhada da turma e sob a fúria da professora que aos gritos mandou que ela sentasse, só conseguiu ouvir.

–          Você está querendo fazer palhaçada? Gracinha pros seus amigos?!

Ter passado por essa experiência desastrosa, fez com que Marita fugisse de toda exposição pública por medo de passar pela mesma humilhação.

  •  Não ter sido amado durante a gestação ou na infância.

Se a criança é fruto de várias tentativas de abortos fracassados, se nasce e é rejeitada, pode desenvolver a necessidade constante de proteção por sentir-se indesejada. Prefere parecer invisível, se exclui para sentir-se segura e treme de medo só em pensar em ser o foco das atenções.

Esse comportamento independe do desejo dos pais ou responsáveis que por ventura a tenham acolhido e passem a amá-la.

medoEssas e outras causas do medo de falar em público provocam reações emocionais que criaram caminhos neurais dentro do cérebro. E sempre que a oportunidade de se expor aparece esses caminhos neurais são acionados e desencadeiam uma sequência de sensações físicas apavorantes.

É o que chamamos de caminho do terror. Cada um conhece o seu. Tremor nas pernas, vermelhidão, dor no estômago, etc…

As experiências que provocam essas reações não podem ser apagadas da sua memória, pois você as vivenciou, mas podem ser resignificadas. Devem ser aceitas como histórias  passadas e até vistas com humor.  

Através do reconhecimento de que o que quer que tenha acontecido, aconteceu com você naquele momento, aconteceu com a pessoa que você era. Então, é passado.

O conhecimento e reconhecimento das novas competências adquiridas posteriormente são seu alicerce onde podem se apoiar novos recursos de corpo, voz, linguagem e controle emocional aprendidos com a prática do instrumental do ator.

O processo é divertido o que facilita o aprendizado e faz com que você se surpreenda com suas competências.

 Leia também o artigo Como enfrentar o medo de falar em público.

Cadastre-se e receba grátis dicas e informações para seu aprimoramento em comunicação comportamental e falar em público. Compartilhe, tire suas dúvidas e dê sua opinião sobre nosso blog. Gratos, até breve!

ASSINE. É DE GRAÇA!

Comentários